Relações entre evolução da ordem Scleractinia e mudanças climáticas

Quando:
Seg, 18. Setembro 2017, 13:30 h - 14:30 h
Onde:
CEBIMar - Auditório - São Sebastião, SP
Categoria:
CEBIMários

Descrição

Palestrante: Marcelo Visentini Kitahara

Resumo: A presente proposta, dividida em duas etapas de natureza complementar, irá investigar pontos chave na história evolutiva dos corais escleractíneos como linhagem e sua relação com mudanças climáticas atuais e pretéritas. Com base no sequenciamento dos primeiros transcriptomas de corais azooxantelados (1 espécie – Madrepora oculata [coral escleractíneo com maior distribuição conhecida], 18 transcriptomas dos quais 6 de espécimes de águas rasas [<50m], 6 de águas profundas [>200m] e 6 de espécimes subjugados a estresses de temperatura e pH) , o primeiro subprojeto visa, de forma inédita, não apenas aprimorar o conhecimento acerca do aparato genético dos principais formadores de recifes coralíneos conhecidos, mas também na verificação de mudanças na transcrição de genes potencialmente relacionados à adaptações fisiológicas, como por exemplo: baixas temperaturas; calcificação em ambientes extremos; etc. O segundo subprojeto, também utilizando técnicas NGS, objetiva o sequenciamento parcial do genoma de 100 espécies de corais (zooxantelados [50] e azooxantelados [50]) com o intuito de estabelecer uma ampla reconstrução filogenética da ordem, elucidando sua relação com os corais coralimorfários. Em adição, esta ampla e robusta reconstrução evolutiva será calibrada através de registros fósseis de representantes de corais escleractíneos que possam ser inequivocamente agrupados com gêneros utilizados no presente estudo, e assim, serão calculados a partir de relógio molecular relaxado, o tempo de divergência dos principais clados recuperados. Estes resultados serão relacionados a dados paleoambientais (p.ex.: temperatura e concentração de CO2 atmosférico) visando o correlacionamento de mudanças ambientais e evolução dos recifes coralíneos. Desta forma, em uma época marcada não apenas pelo grande interesse científico, mas também de intensa preocupação pública devido a mudanças climáticas, a presente linha de pesquisa irá contribuir significativamente ao conhecimento dos principais arquitetos dos recifes de corais de águas rasas (<50 m) e profundas (>200 m), os quais figuram entre os ecossistemas mais biodiversos e atualmente ameaçados do planeta.