Cifonauta
NP-BioMar

 

Compartilhar
Buscar no site:
InícioPesquisas

 

Tipos de conteúdo: 

Artigos: Análise de assuntos em destaque
Notícias: Novidades em notas curtas
Clipping: Compilação de notícias

Entrevista com o Prof. Tit. Antônio Carlos Marques, veiculada no Reporter Eco, de 26/03/2017.

Assistir no Youtube: https://youtu.be/k01HQ19vVBU

As ferramentas da biologia molecular, que investigam estruturas e funções do material genético, nem sempre contradizem estudos anteriores que utilizavam apenas a morfologia para classificar os organismos. Recentemente, estudiosos ligados ao Centro de Biologia Marinha (CEBIMar) da USP acabaram confirmando, a partir de sequências de DNA, observações morfológicas meticulosas da metade do século 19. Após as análises evolutivas, eles determinaram que o gênero Bugula, tal como proposto originalmente em 1815, englobava quatro gêneros: Bugula sensu stricto, Bugulina,Crisularia e um gênero novo, que eles denominaram de Virididentula.

As ferramentas da biologia molecular, que investigam estruturas e funções do material genético, nem sempre contradizem estudos anteriores que utilizavam apenas a morfologia para classificar os organismos.

Dez especialistas comandam o trabalho para devolver espécie à natureza local.

Projeto Biota/ Fapesp/ Araçá colhe subsídios em diversas frentes para gestão integrada da área.

O nome pomposo foi escolhido em homenagem a duas personagens da mitologia grega: Cassiopeia, a rainha da Etiópia que com sua vaidade e arrogância teria provocado a ira das Nereidas, e Andrômeda, sua filha, oferecida em sacrifício a um monstro marinho enviado pelo deus Nereu para castigar o reino etíope. Reservada, Cassiopea andromeda não é como outras espécies de água-viva que saem por aí nadando em busca de comida e de parceiros sexuais.

Verão, férias, praias. Para saber quais são as praias próprias para mergulho e quais estão contaminadas, órgãos ambientais fazem análises hidroquímicas de todo o litoral do Brasil. E uma pesquisa conduzida no Instituto de Geociências e na Escola de Artes, Ciências e Humanidades da Universidade de São Paulo (USP) demonstrou a importância da análise geoquímica dos sedimentos e dos bioindicadores marinhos em análises de impacto ambiental, podendo auxiliar na avaliação das praias.

O Centro de Biologia Marinha está com inscrições abertas para o "Programa Instititucional de Pesquisa nos Acervos da USP".  Podem particicipar pós-graduandos, no Brasil ou no exterior, bem como portadores do título de Doutor que estejam, no momento, atuando em programa de ensino e/ou pesquisa junto à instituição brasileira ou estrangeira. A submissão das propostas de trabalho devem ser feitas até 24/02/2017.

Call of proposals (pdf)

Eles são pequenos, medem no máximo 1,5 centímetro de comprimento, existem em números prodigiosos e mudam de cor. São camarões da espécie Hippolyte obliquimanus, que vivem ao longo de todo o litoral brasileiro, sempre associados a bancos de algas.

O “Conheça a USP” desceu a serra para apresentar um dos institutos especializados mais interessantes da USP, o Centro de Biologia Marinha (Cebimar). Para apresentar o Centro, foram convidados o seu diretor, José Roberto Machado Cunha da Silva, e o diretor da Divisão de Ensino e Pesquisa, Augusto Alberto Valero Flores.

 

©2013 Centro de Biologia Marinha da Universidade de São Paulo
http://www.usp.br/cbm